https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/issue/feed Cadernos da Pedagogia 2024-04-02T13:54:26+00:00 Cadernos da Pedagogia cadernosdapedagogia@gmail.com Open Journal Systems <div class="oIy2qc" data-message-text="A Revista Cadernos da Pedagogia (CAPD) possui publicação quadrimestral, com 3 (três) edições anuais, exceto quando há alguma edição especial. As edições regulares são disponibilizadas nos meses de abril, agosto e dezembro. As edições especiais são confeccionadas sob demanda, quando aprovadas pelos mesmos critérios que regem sua política de avaliação. "> <div class="oIy2qc" data-message-text="A Revista Cadernos da Pedagogia (CAPD) possui publicação quadrimestral, com 3 (três) edições anuais, exceto quando há alguma edição especial. As edições regulares são disponibilizadas nos meses de abril, agosto e dezembro. As edições especiais são confeccionadas sob demanda quando aprovadas pelos mesmos critérios que regem sua política de avaliação. ">A Revista Cadernos da Pedagogia (CAPD) possui publicação quadrimestral, com 3 (três) edições anuais, exceto quando há alguma edição especial. As edições regulares são disponibilizadas nos meses de abril, agosto e dezembro. As edições especiais são confeccionadas sob demanda quando aprovadas pelos mesmos critérios que regem sua política de avaliação. O processo editorial começa após o aceite, por indicação feita em avaliação cega e a publicação da produção textual científica pode demorar de 6 (seis) a 9 (nove) meses, depois do aceite</div> <br />B1 em Educação<br />B1 em Ensino<br />B1 em Interdisciplinar</div> https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2018 PLANEJAMENTO EDUCACIONAL E EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS EM CURSO DE PEDAGOGIA DA UFPA - CAMPUS BRAGANÇA 2023-10-17T13:48:16+00:00 Antonio Matheus do Rosário Corrêa matheuscorrea@ufpa.br <p>Este relato apresenta experiências sobre Planejamento Educacional em interfaces a Educação para as Relações Étnico-Raciais em turma de Pedagogia da Universidade Federal do Pará. Objetiva-se compartilhar experiências formativas desenvolvidas no componente curricular Planejamento Educacional em relação à Educação para as Relações Étnico-Raciais. Metodologicamente se fundamenta em abordagem qualitativa com estudo de campo, sendo geração de dados baseada em observação participante estruturada nas etapas: planejamento de ensino, exibição de episódio de série documental; estudo de bibliografias com posterior discussão em Sessão de Estudos; resposta a Fórum virtual; analisou-se os discursos baseado nos Gêneros Discursivos de Bakhtin (2016). O aporte teórico está fundamentado em formação de professores e relações étnico-raciais (COELHO, 2006; SANTOS, 2009), planejamento educacional (VASCONCELLOS, 2009), Educação para as Relações Étnico-Raciais (GOMES; ARAÚJO, 2013), entre outros. Os resultados revelam que experiências formativas proporcionaram relações teórico-práticas significativas à formação inicial em Pedagogia, por meio de enunciações que problematizam o racismo e possibilitam práticas antirracistas educacionais. Conclui-se que o ensino e a aprendizagem consubstanciam formas de pensarmos o Planejamento Educacional como aliado da problematização do racismo presente em escolas, bem como possibilita formas de participação social da população negra para valorização e garantia de direitos.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2032 EDUCAÇÃO PARA A FRATERNIDADE: CONECTANDO A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2023 COM A AGENDA 2030 2023-11-15T18:23:41+00:00 Adilson Cristiano Habowski adilsonhabowski@hotmail.com <p>Este texto apresenta um projeto pedagógico desenvolvido com as turmas dos anos finais (6º ao 8ª) de um colégio no município de Porto Alegre/RS durante o primeiro trimestre de 2023. O projeto teve como objetivo principal explorar o tema "Fraternidade e Fome" da Campanha da Fraternidade 2023 e relacioná-lo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Foram realizadas atividades nas quais os estudantes responderam questões relacionadas aos objetivos da Agenda 2030, suas metas, importância global, relação com a Campanha da Fraternidade, situação do Brasil em relação a esses objetivos, desafios, ações já existentes e propostas de ações. O projeto culminou em seminários de discussão.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2084 REFLEXÕES SOBRE A ATUAÇÃO DA SUPERVISÃO DE ENSINO 2024-04-01T02:51:46+00:00 Eliane Cristina Lopes Marchetti jessicavelosomorito@hotmail.com Flávio Caetano da Siva jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O artigo pretende abordar alguns apontamentos históricos que levaram ao surgimento <br>da função de supervisão de ensino e que a associa a uma ideia tecnicista e fiscalizadora, assim <br>como apresentar e discutir sobre algumas percepções de como ela é vivenciada nos dias atuais. <br>Para isso, foram utilizados estudos realizados por Saviani (2008 e 2013), Naura Siria F. Correa <br>da Silva (2002) e Bernard Charlot (2000 e 2021). Pretende-se abordar as seguintes questões: os <br>contextos históricos vivenciados contribuíram para a construção de tal olhar para o profissional? <br>A função continua apresentando as mesmas características das épocas anteriores? Como ser <br>supervisor de ensino e vivenciar práticas de gestão mais democráticas? As conclusões apontam <br>que a função traz uma herança advinda de tempos bastante distantes, ela está associada a uma <br>ideia de autoritarismo e fiscalização. Porém, os anseios e a compreensão dos profissionais que <br>atuam, hoje em dia, na educação, de modo geral, são outros, assim como os dos supervisores de <br>ensino, o que faz com que a ação supervisora no ensino ganhe contornos diferentes das que tinha <br>no passado</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1840 JOGOS ESTRUTURADOS COMO RECURSO SOCIALIZADOR PARA ESTUDANTES COM TEA NO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DA EDUCAÇÃO INFANTIL 2022-12-30T19:04:27+00:00 Paula Leal de Oliveira pcardoso525@gmail.com Taise Acunha Escobar taiseescobar@gmail.com Elisangela Gonçalves Macedo elisangelagmacedo@gmail.com A utilização dos jogos como um facilitador para a socialização da criança com TEA na educação infantil promove possibilidades de potencializar a socialização com o grupo no qual esta criança está inserida. Está cada dia mais comum a criança com TEA que inicia na sua primeira infância a educação infantil, sendo assim cada vez mais cedo atende-se esse público no AEE. Para desenvolver e estimular as possibilidades dos alunos se faz a necessidade de um material diversificado, lúdico, de fácil acesso e planejado para alcançar aos objetivos a serem trabalhados com estas crianças. Sendo assim, os jogos tornam-se aliados do professor do AEE para potencializar as aprendizagens da criança com TEA. Foi possível constatar através das pesquisas bibliográficas presentes neste artigo e estudo de caso através de uma professora de AEE de uma escola de Educação Infantil municipal da cidade de Uruguaiana-RS, a importância e indispensabilidade dos jogos e seus favorecimentos à aprendizagem como ampliação da comunicação, curiosidade, concentração, ajuda na construção de vínculos afetivos de um modo potencializador de socialização com o meio que a criança com TEA está inserida. 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1844 EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ESPECIAL EM TEMPOS PANDÊMICOS: O IMPACTO NO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO E INCLUSIVO 2023-01-08T14:13:44+00:00 Maria do Carmo Santos maria.santos520@educacao.mg.gov.br Leiane da Costa Leandro Nascimento Leiane da Costa Leandro Joice Stella de Melo Rocha Nascimento leianeiar@hotmail.com Joice Stella de Mello Rocha joice.rocha@ifmg.edu.br O presente artigo tem como objetivo relatar a experiência de duas escolas estaduais do interior do estado de Minas Gerais e da Equipe Multidisciplinar da sala de Recursos multifuncional que atende da Semed, de Floriano Piauí, sobre o impacto no Atendimento Educacional Especializado e Inclusivo no período da pandemia, em decorrência do Covid-19. Participaram da pesquisa, que deu origem a este artigo duas professoras/coordenadoras da Sala de AEE, das duas escolas e Equipe Multidisciplinar da sala de Recursos multifuncional e para coleta de dados, foi realizada a entrevista estruturada, por meio do formulário eletrônico, respondida individualmente pelas educadoras e uma roda de conversa, via plataforma google meet o qual a Roda de Conversa foi gravada e seus diálogos passaram por análise de conteúdo, a partir do relato de suas experiências e dificuldades, os recursos utilizados, o apoio e envolvimento das famílias e da comunidade escolar, para que garantissem a continuidade da oferta de AEE para o seu público alvo. 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1903 O PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2023-02-02T13:29:15+00:00 FLÁVIA PINHEIRO GIUSTINA flaviapgiustina@gmail.com <p>O presente artigo é revisão bibliográfica, descritiva e exploratória, e trata do portfólio como um instrumento de avaliação de ensino e aprendizagem na Educação Infantil. Buscou-se conhecer o uso deste recurso avaliativo na Educação Infantil, a participação dos pais e professores para essa construção, a aplicabilidade e as vantagens da implementação no processo de ensino e aprendizagem. O portfólio, digital ou impresso, é um recurso inovador, criativo e justo, pois possibilita acompanhar o processo de ensino e aprendizagem, pois pode conter além dos trabalhos desenvolvidos durante um período, registros processuais dos estudantes, relatórios, observações, imagens, dentre outros. Os dados foram&nbsp;&nbsp; coletados por meio de artigos científicos publicados em Língua Portuguesa, de pesquisas brasileiras, datadas no período de 2001 a 2021, e em leis que regulamentam a educação brasileira na Educação Infantil, e posteriormente categorizados e analisados qualitativamente. Observou-se que o portfólio materializa a proposta pedagógica da escola, o desenvolvimento do currículo e da concepção de criança marcada pelos registros e nos relatos das experiências sensoriais, expressivas, corporais, ou seja, revela-se como uma construção cuja criança é protagonista, uma vez que os produtos são resultados de suas experiências, interações e brincadeiras. &nbsp;</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1908 UM PLANETA CHAMADO ESOLA, EM UM UNIVERSO CHAMADO EDUCAÇÃO 2023-02-22T12:29:03+00:00 Rosa Maria de Santana rosa_santana929@escola.pb.gov.br <p><strong>RESUMO</strong><strong>: </strong>Este trabalho pretende discutir o papel do gestor escolar enquanto líder na busca por uma educação que comtemple não apenas a igualdade, mas equidade para a comunidade estudantil, ressaltando a importância do Curso Mentoria para diretores escolares. Pretende-se ainda, fazer a seguinte pergunta: o gestor escolar cuida de sua comunidade escolar e quem cuida do gestor? Para tanto, faz-se uma discussão sobre a qualidade educacional por meio da reflexão da construção do Projeto Político Pedagógico, tendo o gestor como um importante ator na oportunização para uma educação omnilateral em uma escola omnilateral. Para elaboração deste artigo, fez-se uma discussão teórica sobre qualidade educacional, educação para além do mercado de trabalho, formação omnilateral, educação integral, o PPP escolar e a Mentoria para diretores escolares. Usou-se para elaboração deste estudo uma pesquisa com abordagem qualitativa. Embora não superando os estudos nessa perspectiva, conclui-se que o Curso de Mentoria de Diretores Escolares pode ser considerado uma grande oportunidade para os estados e municípios na promoção de formas de aprender e ensinar, tanto das questões administrativas como emocionais, mas não é suficiente para o apoio necessário que os diretores precisam. Como também, ainda não se tem o conhecimento da replicação desse projeto pelas secretarias de educação e quais impactos causaram para o proposito pretendido.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1910 FORMAÇÃO DOCENTE E LITERATURA INFANTIL: POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS DE APRENDIZAGEM EM SALA DE AULA 2023-02-24T13:00:53+00:00 Nathalie Lima prof.nathalie.lima@gmail.com Danielle Lima Silva dls1984daniellelima@gmail.com <p>O presente trabalho objetiva apresentar uma Abordagem Reflexiva acerca da Formação Docente junto ao trabalho com a Literatura Infantil frente a aprendizagem construtiva dos saberes das crianças na Educação Infantil. Para tanto, debatemos a formação de professores no Brasil a luz das ideias de Imbernón (2011), Gatti (2013), Tardif (2012), Nóvoa (1997) e no que diz respeito a Literatura Infantil e as múltiplas formas de aprendizagem na Educação Infantil apoiou-se em autores como: Coelho (2000), Candermatori (1994), Abramovich (2008) e Japiassu (2012) que versam sobre a Literatura Infantil. Baseou-se na pesquisa de caráter bibliográfico, através de acervos de livros, artigos, teses e dissertações&nbsp; sobre a temática educacional a fim de ter respostas concludentes sobre o tema (GIL, 2002). Os resultados apontam, que a Literatura Infantil em meio sua multiplicidade de saberes pelo caminho do lúdico desperta: o pensar, o imaginar, o brincar, o ler, o escrever o texto e o contexto das relações sociais, e auxiliada pela prática educativa do professor traz evolutivamente o aprender. Conclui-se, portanto, que a formação docente e seu fazer pedagógico devem vir mediadas de uma articulação promissora entre teoria e prática pois, ambas são indispensáveis para evolução das crianças na significação do mundo.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1916 REFLETINDO A IDENTIDADE DA ESCOLA A PARTIR DA COSNTRUÇÃO COLETIVA DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO 2023-02-28T21:44:35+00:00 Nelissandra Gurgel nelissandragurgel@gmail.com <p>O presente artigo demonstra a identidade do Centro Educacional de Tempo Integral Dariana Correa Lopes e reúne um corpo sólido de mecanismos que norteiam as atividades desenvolvidas pela instituição e seu compromisso com o território e a comunidade atendida. Tem como Objetivo Geral: Promover processos educativos baseados na concepção da Educação Integral, na garantia dos direitos de aprendizagens dos estudantes com inovação nas práticas e estratégias de ensino na sala de aula e fora dela. Tendo como Objetivos Específicos: 1-Tornar o aluno protagonista no processo de aprendizagem; 2- Fortalecer a integração escola / comunidade; 3- Promover um ambiente acolhedor capaz de excluir qualquer situação de racismo, preconceito e discriminação. A metodologia adotada diz respeito a elaboração de um formulário online na plataforma do Google, gerando uma planilha com dados dos discentes e responsáveis, &nbsp;possibilitando a interpretação dos dados coletados. A escola trabalha com modelo pedagógico do horário de tempo integral, visando contribuir para a formação de cidadãos éticos, comprometidos com a justiça, com solidariedade entre os povos, com igualdade de direitos.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1959 MEMÓRIAS DE PROFESSORAS ALFABETIZADORAS NO DELTA DO RIO PARNAÍBA (1970-1990) 2023-07-17T18:03:38+00:00 José Marcelo Costa dos Santos marcelo.jose@ufma.br Maria do Amparo Borges Ferro amparobferro@gmail.com <p>O presente estudo enfoca a prática educativa de professoras alfabetizadoras que atuaram em povoados do Delta do Rio Parnaíba, no período de 1970 a 1990. O objetivo geral é analisar aspectos de práticas educativas a partir de memórias docentes em povoados ribeirinhos do Delta do Parnaíba. Especificamente, buscamos: discutir aportes sobre a história da alfabetização no Brasil; descrever o processo de alfabetização de moradores ribeirinhos do Delta do Parnaíba, no período de 1970 a 1990; caracterizar práticas educativas, a partir de memórias de professoras alfabetizadoras aposentadas. Trata-se de uma pesquisa histórica, de abordagem qualitativa, no campo da História Oral, tendo como técnica o relato de história oral. A base teórica se ampara em Fávero (2006), Frade (2005), Meihy (2005), Mortatti (2019; 2010; 2000), dentre outros. O estudo mostrou que a prática educativa das professoras alfabetizadoras foi significativa e trouxe importantes contribuições para os povos ribeirinhos do Delta do Parnaíba, uma vez que inseriram gerações de moradores nos processos de escolarização por meio do aprendizado da leitura, escrita e do cálculo.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1961 (IN)EXPERIÊNCIA DOCENTE NA ESCOLHA DE INSTRUMENTOS AVALIATIVOS PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E ENSINO REMOTO EMERGENCIAL 2023-07-17T18:04:35+00:00 Dayse Patricia Pereira Barbosa daysepatriciap@hotmail.com Ivanda Maria Martins Silva ivanda.martins@ufrpe.br <p>A avaliação da aprendizagem na Educação Superior configura-se como temática relevante, principalmente, quando visualizamos os desafios enfrentados pelos docentes no cenário da pandemia de Covid-19. Neste contexto, reflexões sobre abordagens e instrumentos avaliativos tornaram-se necessárias, tendo em vista redimensionamentos de processos de ensino e aprendizagem mediados pelas Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC). As discussões sobre avaliação da aprendizagem e escolha de instrumentos avaliativos, no contexto da Educação a Distância (EAD) e do Ensino Remoto Emergencial (ERE), precisam contemplar as concepções docentes, fornecendo evidências mais aprofundadas em torno das concepções docentes sobre a utilização de instrumentos avaliativos. Esta investigação tem como objetivo principal analisar as concepções docentes acerca da escolha de instrumentos avaliativos da aprendizagem nos contextos da Educação a Distância e do Ensino Remoto Emergencial. Quanto ao aporte teórico, a pesquisa norteou-se em abordagens que discutem avaliação da aprendizagem na Educação Superior, além de trabalhos sobre a avaliação nos campos da EAD e do ERE. Quanto ao desenho metodológico, trata-se de pesquisa aplicada, com abordagem qualitativa. Como instrumentos de coleta, foram utilizados questionário para caracterização dos participantes, entrevistas semiestruturadas e observação sistemática não participante para imersão nas salas virtuais. A partir da análise e discussão dos dados percebeu-se que a dificuldade dos docentes, em avaliar remotamente, estava mais vinculada à preocupação na identificação do aluno e na viabilidade de correção das avaliações aplicadas. Os resultados evidenciaram que a escolha dos instrumentos avaliativos leva em consideração os seguintes aspectos: o tamanho da turma, a necessidade de evitar o plágio e, por isso, os docentes realizavam mais de um tipo prova, além das particularidades das disciplinas.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2010 A EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO: UM EMBATE ENTRE A FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO E A BNCC 2023-09-20T20:29:13+00:00 Helen Mariano Polachini helenpolachini@estudante.ufscar.br Luiz Roberto Gomes luizrgomes@ufscar.br <p>O artigo analisa o conceito de Experiência, que é central na tradição do pensamento pedagógico ocidental e também, presente na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), atual documento que regulamenta o currículo brasileiro da Educação Básica. A pesquisa de iniciação científica, de caráter bibliográfico-documental, demonstrou que o conceito de Experiência foi ressignificado&nbsp; na BNCC, especialmente na etapa da Educação Infantil, se comparado com os pensamentos de John Dewey (1859-1952), Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) e Walter Benjamin (1892-1940), importantes autores da Filosofia da Educação. Os resultados das análises indicam a necessidade de uma compreensão ampliada do conceito de Experiência e que transcenda a noção de habilidades e competências, que prevalece na BNCC. Afinal, é fundamental, no processo de ensino-aprendizagem, a garantia de experiências plenas voltadas à autonomia dos estudantes.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2082 EDITORIAL 2024-04-01T02:44:54+00:00 Flávio Caetano da Siva jessicavelosomorito@hotmail.com 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2085 PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS: UM DESAFIO ENTRE O IDEAL E O REAL 2024-04-01T02:54:29+00:00 Aline Cristina de Souza jessicavelosomorito@hotmail.com <p>Este dossiê é constituído por práticas pedagógicas inclusivas realizadas no Centro <br>Pedagógico (CP), na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Trata-se de um Colégio <br>de Aplicação (CA), que atende ao Ensino Fundamental subdividido em três ciclos de formação <br>humana, 1º Ciclo (1º, 2º e 3º ano), 2º Ciclo (4º, 5º e 6º ano) e, 3º Ciclo (7º, 8º e 9º ano). Somado <br>a isto, o CA possui caráter experimental para inovações didáticas. Tem como características a <br>integração entre teoria e prática, com ênfase na formação humana.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2086 CONFIDÊNCIAS DOCENTE: ENTRE ENCONTROS, TRAJETÓRIAS E TRAVESSIAS 2024-04-01T11:02:49+00:00 Gislaine de Fátima Ferreira Leite jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O presente artigo coloca em evidência minha jornada como professora e pesquisadora, <br>influenciada pelas políticas educacionais para a Educação Inclusiva e Educação Especial na perspectiva <br>inclusiva, como também emaranhada por diferentes memórias e narrativas que tramam meus <br>(des)caminhos e (des)encontros com as práticas pedagógicas práticas realizadas junto a estudantes <br>público-alvo da educação especial em um Colégio de Aplicação. Dessarte, apresento, nestas linhas e <br>entrelinhas, nesta “carta”, confidências sobre minha chegada ao Centro Pedagógico da Universidade <br>Federal de Minas Gerais (CP/UFMG). Ao trilhar meus caminhos inspirada nas perspectivas pósestruturalistas, dos estudos foucaultianos e em diálogo com a Filosofia da Diferença de Gilles Deleuze <br>e Félix Guattari procuro problematizar os modos como as políticas de inclusão vão se materializando <br>no cotidiano escolar. Tendo como objetivo problematizar o processo de construção coletiva da política <br>de inclusão no Centro Pedagógico, o texto em tela navega por histórias e trajetórias, a partir da análise <br>de cartas de uma docente do quadro permanente da área da Educação Especial e Inclusiva, abordando<br>sua chegada, seus encontros e suas travessias.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2087 INCLUSÃO E DECOLONIALIDADE NO ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA: PROPOSTA DE ATIVIDADES ADAPTADAS PARA ESTUDANTES SURDOS 2024-04-01T11:17:35+00:00 Eulálio Marques Borges jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O presente trabalho objetiva trazer à baila uma temática cara a nós, professores <br>de língua espanhola da educação básica, porém ainda pouco discutida: o ensino de espanhol para <br>surdos, a qual se justifica devido ao número de estudantes público-alvo da educação especial <br>(PAEE) crescente a cada ano nas escolas. Partiremos de um percurso histórico sobre o lugar <br>incerto que a língua espanhola ocupa no sistema educacional de nosso país (RODRIGUES, 2010), <br>relacionando-o com a falta de estudos acadêmicos acerca de seu ensino inclusivo. Em seguida, <br>será cotejado o sulear epistemológico (BARROS; COIMBRA, 2020) e a decolonialidade na <br>abordagem do espanhol (MATOS, 2020) com a inclusão de pessoas surdas a partir de uma <br>perspectiva também decolonial (BENTO, 2022), haja vista as exclusões sofridas por não ouvintes <br>ao longo da história (NUNES; SILVA, 2022), fruto de uma lógica social colonialista. Por fim, <br>serão apresentadas atividades de espanhol adaptadas para uma estudante surda dos anos finais do <br>ensino fundamental, evidenciando os desafios do processo e algumas das possibilidades <br>existentes.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2088 PRÁTICAS INCLUSIVAS DE EDUCAÇÃO MUSICAL VIVENCIADAS NO CENTRO PEDAGÓGICO DA UFMG 2024-04-01T11:21:52+00:00 Paulo Henrique Pinto Coelho Rodrigues Alves jessicavelosomorito@hotmail.com <p>Este texto versa sobre o trabalho de Educação Musical desenvolvido com crianças e <br>adolescentes, dos três ciclos de formação humana, do Centro Pedagógico da UFMG. Busca explorar, <br>principalmente, o processo de construção de uma Educação Musical Inclusiva, realizado pelos docentes <br>da disciplina Arte/Música, a partir da progressiva chegada de estudantes público-alvo da Educação <br>Especial iniciada no ano de 2016. Essa construção, vem sendo pautada pela perspectiva de que ninguém <br>pode ser deixado de fora no processo educativo; de que, de distintas maneiras, todos os estudantes<br>precisam ser contemplados, considerando, principalmente, o público-alvo da educação especial.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2089 CORPO E MOVIMENTO NA TRAJETÓRIA ESCOLAR DE UM ESTUDANTE COM SÍNDROME DE DOWN EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DE TEMPO INTEGRAL 2024-04-01T11:25:47+00:00 Amanda Fonseca Soares Freitas jessicavelosomorito@hotmail.com Lígia Silva Campos jessicavelosomorito@hotmail.com Túlio Campos jessicavelosomorito@hotmail.com Maria Cecília Alvim Guimarães jessicavelosomorito@hotmail.com <p>: Este trabalho teve como objetivo compreender como o corpo e as expressões de <br>movimento aparecem e são entendidos durante a trajetória escolar de um estudante com <br>deficiência numa escola de ensino fundamental em tempo integral, considerando os diferentes <br>tempos e espaços vivenciados no processo de educação inclusiva na escola, a relação com a <br>família e com as experiências também fora da escola. O olhar para esse processo de inclusão será <br>descrito enfatizando o corpo em sua totalidade: aspectos históricos, sociais e culturais, destacando <br>o movimento como forma de linguagem. Foi realizada uma pesquisa qualitativa utilizando como <br>instrumentos a entrevista semiestruturada com a mãe do estudante; análise de documentos <br>referentes ao histórico do estudante na escola e observação participante. O corpo está o tempo <br>todo se expressando, se fez presente em todos os momentos na interação com objetos, espaços e <br>sujeitos. As experiências não-escolares, a condição familiar, tudo que cerca esse corpo fora da <br>escola pode fomentar suas experiências, as formas desse corpo se expressar e pode auxiliar no <br>desenvolvimento dessa criança, facilitando os processos na educação inclusiva e potencialmente <br>na sua inclusão social.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2090 AFETIVIDADE E LUDICIDADE NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DE UMA CRIANÇA DIAGNOSTICADA COM TEA: TECENDO LAÇOS A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE UM OBJETOS DE APRENDIZAGEM 2024-04-01T11:28:56+00:00 Bruna D'´Carlo Rodrigues de Oliveira Ribeiro jessicavelosomorito@hotmail.com Anna Carolina Estanislau Pires jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O presente trabalho tem como objetivo analisar o processo de construção de um <br>objeto de aprendizagem e sua aplicação para uma estudante público-alvo da educação especial, <br>do primeiro ano do ensino fundamental de um colégio de aplicação. Buscou-se, orientados pela <br>perspectiva política de inclusão, oportunizar a experiência de aprendizagem a partir de dinâmicas <br>e práticas educacionais que se sustentem pelo conceito de equidade e pela afetividade. A pesquisa <br>se desenvolveu por meio de revisão bibliográfica, na qual estudamos textos que abordam as <br>questões históricas da educação especial e inclusiva, bem como os processos de ensinoaprendizagem de crianças com TEA e TDAH e as possibilidades do processo de alfabetização e <br>letramento para este grupo (FERREIRO e TEBEROSKY,1989; SOARES, 2018). Foram <br>realizados uso dos seguintes instrumentos :análise documental, observação, entrevista, produção <br>de material e aplicação do objeto em sala de aula. O processo foi viabilizado pela parceria com o <br>Laboratório de Produção de Objetos de Aprendizagem para Pessoa com Deficiência (LaPOA) -<br>UFMG. Como resultado, apresentamos a importância da mobilização teórico-prática desta <br>pesquisa, que reverberará para novos usos e práticas do material elaborado pelo laboratório e que <br>se tornou parte do acervo do colégio para ser utilizado em diferentes contextos de aprendizagem.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2091 TRAJETÓRIA FORMATIVA: NARRATIVAS SOBRE INCLUSÃO E PROCESSOS DE SUBJETIVAÇÃO EM UM COLÉGIO DE APLICAÇÃO 2024-04-01T11:32:16+00:00 Gislaine de Fátima Ferreira Leite jessicavelosomorito@hotmail.com Hélcio Antônio Moreira Júnior jessicavelosomorito@hotmail.com Júlia Santos Soares jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O presente trabalho visa apresentar narrativas sobre as experiências promovidas pelo <br>Programa Imersão Docente - PID, projeto Educação Especial, desenvolvido no Centro <br>Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais (CP/UFMG). As narrativas traçam a <br>trajetória formativa de um monitor e de uma monitora do PID-EE, buscando problematizar os <br>caminhos pedagógicos percorridos para a constituição da prática docente, como também a <br>trajetória de um estudante com síndrome de down na escola. A pesquisa de cunho qualitativo <br>delimita-se como estudo de caso, pautando-se no uso de narrativas para problematizar o contexto <br>escolar e investigar o processo inclusivo. Dessa forma, o estudo revela a necessidade de mudanças <br>didáticas e metodológicas, como também a ressignificação do olhar para a escola e sua ideologia.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2092 DANÇA E POTENCIALIDADES: CRIANDO ESPAÇO PARA AS DIFERENÇAS 2024-04-01T11:35:00+00:00 Marlaina Fernandes Roriz jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O trabalho que sustenta esta pesquisa denomina-se Dança e Potencialidades. A partir <br>de aulas práticas de Dança para crianças público alvo da Educação Especial (PAEE) do Centro <br>Pedagógico (CP), colégio que oferta o Ensino Fundamental em tempo integral. O grupo Dança e <br>Potencialidades começaram como projeto piloto e tinha por objetivo garantir tempos e espaços <br>diferenciados para estudantes do CP, com e sem deficiência. Através da escuta efetiva e afetiva e <br>da conexão estabelecidas nesses encontros, as salas ambientes configuravam-se espaços para <br>conhecer e experimentar a corporeidade e criar Dança. Iniciou-se em 2017, pois a partir de 2015,<br>o CP passou a reservar três vagas para ingresso de estudantes PAEE. Essa pesquisa se estrutura a <br>partir de um olhar para a etnografia e conta com a observação participante, já que a autora atuou <br>como professora e coordenadora da pesquisa. Criando relações entre ensino de Dança, Educação <br>Especial e Inclusiva e formação docente, esse projeto traz discussões pertinentes sobre novos <br>modos de ensinar-aprender; relações tradicionais e sistemáticas entre corporeidade na escola e <br>protagonismo da criança. Apresenta ainda, por meio de duas produções cênicas, possibilidades <br>pedagógicas- artísticas que se construíram pelo olhar sensível nas potencialidades que existe nas <br>diferenças.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2093 O PROCESSO INCLUSIVO DE UM ESTUDANTE COM SÍNDROME DE DOWN: A ARTES COMO FACILITADOR 2024-04-01T11:37:42+00:00 Evandro Carvalho de Menezes jessicavelosomorito@hotmail.com <p>Este estudo relata e analisa experiências realizadas durantes aulas de Arte/Música em <br>um colégio de aplicação da rede federal de ensino. O estudo tem como objetivo descrever e <br>analisar práticas pedagógicas inclusivas, envolvendo um estudante do quarto ano do ensino <br>fundamental. A abordagem metodológica se deu pelo paradigma qualitativo, com dados coletados <br>a partir das atividades realizadas no cotidiano da sala de aula, com participação ativa do <br>pesquisador como professor da turma. Em meio a referenciais teóricos da educação e específicos <br>da educação musical, o estudo teve como referência a metáfora “A gota de óleo e o copo d´água” <br>(CIAVATTA, 2012). Os resultados indicam a relevância da adoção de abordagens pedagógicas <br>flexíveis e sensíveis às singularidades de cada estudante nos processos inclusivos. As conclusões <br>ressaltam que o processo de inclusão, para além da garantia de presença, deve assegurar que o <br>estudante afete e seja afetado pelo ambiente, promovendo efetiva interação e pertencimento.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2094 A ESTRUTURA RETÓRICA DO TEXTO COMO ELEMENTO BÁSICO DECONSTRUÇÃO GÊNERO CONTO: UMA PESQUISA COM CRIANÇAS PÚBLICO-ALVO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL DO 6º ANO ESCOLAR 2024-04-01T11:40:24+00:00 Rosane Cassia Santos e Campos jessicavelosomorito@hotmail.com <p>Este trabalho apresenta um estudo sobre a possibilidade de processamento da informação<br>para a produção do gênero textual conto, por estudantes do 6º ano escolardo Centro Pedagógico da <br>UFMG, a partir da análise da estrutura retórica que compõe ostextos elaborados. Destaca-se que esse<br>procedimento analisa a construção textual, também, de estudantes público alvo da educação especial <br>que integram as turmas de 6º ano de formação humana. Pretendeu-se a criação de textos do gênero conto<br>e, produzidos os textos, buscou-se investigar se os estudantes, inclusive os PAEE, usam uma ou outra <br>relação retórica, de maneira recorrente, como base para a construção tanto da estrutura do gênero conto, <br>quanto para a construção do sentido pretendido.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2095 SHE LIKES YELLOW AND GREEN: PRÁTICAS INCLUSIVAS NA AULA DE INGLÊS 2024-04-01T11:43:14+00:00 Eliene de Souza Paulino jessicavelosomorito@hotmail.com <p>O presente relato de experiência reúne temáticas do ensino de língua inglesa na escola <br>pública sob o prisma da decolonialidade e trata de questões relacionadas à inclusão, na experiência <br>docente com uma estudante autista, estudantes com síndrome de down e um estudante com <br>paralisia cerebral matriculados no 7º ano do Ensino Fundamental. Falar sobre ensino de línguas <br>no Brasil perpassa a observação das relações entre língua e poder e questões de raça e inclusão, <br>no combate da perpetuação de um modelo colonialista de ensino. Com base em Mattos (2015), o <br>relato aponta a necessidade de se evidenciar diferentes formas de inserção social na era <br>contemporânea, possibilitadas pela atuação crítica e engajada do cidadão e, neste caso, do <br>estudante. A valorização do diferente e o respeito pelo outro são ações fundamentais para a <br>transformação cidadã, visto que educar para a cidadania é acolher e promover a inclusão social <br>(MATTOS, 2015). O trabalho exemplifica e detalha ações cotidianas de atividades na aula de <br>inglês com a participação de todos os estudantes da turma, reiterando a noção de que alterar o <br>ambiente da sala de aula, com inserções e adaptações para que todos dela participem, é uma <br>atitude ousada, mas possível (MANTOAN, 2017).</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2096 PRÁTICAS INCLUSIVAS JUNTO A UMA CRIANÇA COM TEA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: DESAFIOS E POSSIBILIDADES 2024-04-01T11:46:24+00:00 Flávia Helena Pontes Carneiro jessicavelosomorito@hotmail.com Maria Beatriz de Freitas Vasconcelos jessicavelosomorito@hotmail.com Aline Cristina de Souza jessicavelosomorito@hotmail.com <p>Este texto tem como objetivo apresentar os desafios vivenciados por professoras<br>e suas práticas numa perspectiva inclusiva com uma criança de 8 anos com TEA, nos anos iniciais<br>do Ensino Fundamental, tendo como referência para atuação o trabalho colaborativo entre<br>docentes. As práticas foram desenvolvidas na disciplina de Ciências Humanas e da Natureza e<br>tiveram como objetivo o desenvolvimento do currículo para todos e também práticas adaptadas a<br>partir do diagnóstico e avaliação para o desenvolvimento da criança público alvo da Educação<br>Especial. A equipe docente avaliou como positivas as respostas da criança ao trabalho,<br>considerando avanços em seus processos de desenvolvimento cognitivo/comportamental e social.<br>A disposição para o diálogo e a abertura para promoção de mudanças na prática docente a partir<br>da colaboração foram avaliadas como profícuas pela equipe que atuou com a criança.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2097 ESTUDO DE PADRÕES E REGULARIDADES COM UM ADOLESCENTE COM SÍNDROME DE DOWN 2024-04-01T11:49:24+00:00 Ana Rafaela Correia Ferreira jessicavelosomorito@hotmail.com Warley Machado Correia jessicavelosomorito@hotmail.com <p>Neste texto trazemos alguns aspectos, desdobramentos e reflexões de um trabalho <br>que tem sido realizado nas aulas de Matemática com um estudante do 8° ano do Ensino <br>Fundamental, portador de Síndrome de Down. Com foco em padrões e regularidades, elaboramos <br>um conjunto de atividades que envolvem tarefas, jogos e uso de material concreto com o objetivo <br>de colaborar para o desenvolvimento do pensamento abstrato do estudante, e assim, potencializar <br>o seu raciocínio lógico-matemático. Almeja-se, desse modo, atender às necessidades especiais do <br>estudante e propiciar a ele maiores condições de lidar com os padrões que normalmente <br>acontecem em nossa vida cotidiana, estimulando sua autonomia e sua aprendizagem em <br>Matemática.</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2083 EXPEDIENTE 2024-04-01T02:46:42+00:00 Flávio Caetano da Siva jessicavelosomorito@hotmail.com 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/2052 O SOFRIMENTO DOCENTE: APENAS AQUELES QUE AGEM PODEM TAMBÉM SOFRER 2023-12-29T22:44:10+00:00 Vinicius Kapicius Plessim vinikapicius@usp.br <p>A resenha tem como objetivo compreeder a gênese da origem do sofrimento docente. É notório que o professor sofre e esta condição está diretamente relacionada as precárias condições de trabalho, baixos vencimentos, desvalorização do campo, constantes violências sofridas sejam elas de natureza f´ísica ou simbólica, ou seja, precária infraestrutura para o exercício da profissão. Este fenômeno esta diretamente também relacionado ao afastamento dos professores de seu ofício e o seu total abandono.&nbsp;</p> <p>O sofrimento docente é um processo construído socialmente e historica, mas além das precárias condições de materiais, tencionamos ainda destacar a precarização simbólica que ocasiona a deslegitimaçao e desvalorização do professor em seu campo de trabalho. Assim, esta resenha procura entender o sofrimento docente como um fenômeno social para além da sua dimensão física, material, mas tamb´ém&nbsp; o seu caráter simbólico.&nbsp;</p> 2024-04-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2024 Cadernos da Pedagogia