A ALFABETIZAÇÃO E O LETRAMENTO ENQUANTO PROPÓSITO E DESAFIO DO COTIDIANO DOCENTE: UMA BREVE REFLEXÃO PRÁTICO-TEÓRICA

Émerson Dias De Oliveira, Marina Sartori Uzelotto Dias

Resumo


As recentes discussões envolvendo a alfabetização e letramento são questões que tem servido para refletir as possibilidades de uma aprendizagem significativa dos sujeitos, aonde implicações voltadas para a dignidade social e politização se colocam enquanto finalidades desse processo. O entendimento dicotômico e ao mesmo tempo complementar que envolve a alfabetização/letramento tem se colocado enquanto uma proposta de perceber essa relação de forma totalitária, sinérgica e dialética, pois inserem tanto os esforços alinhados com a aquisição instrumental da escrita (alfabetização) como também as vinculações sócio-históricas enquanto sistema simbólico (letramento). É por isso que se fala na necessidade de alfabetizar e letrar concomitantemente, pois o desenvolvimento cognitivo da criança acaba prejudicado e se tornar ineficaz sem o devido alinhamento desses dois processos, uma vez que sem saber decodificar os textos, o aluno não consegue lê-los e sem saber os seus sentidos e usos, tem-se uma leitura esvaziada, por não garantir um efetivo entendimento cultural, social, histórica, científica, intencional da escrita/leitura. Dessa feita, a proposta dialogada ao longo desse ensaio propõe tanto uma reflexão da alfabetização e letramento como a sua utilidade enquanto ferramenta de emancipação social dos sujeitos, uma abordagem que aponta não apenas o letramento pedagógico-escolar, mas também a diversas leituras que se podem fazer do mundo, um desafio que permita aos sujeitos serem ator e autor de sua própria história, afinal como assevera Guenther (2002) é sendo diferentes que nos tornamos iguais na condição humana.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Cadernos da Pedagogia

© 2007. Revista Cadernos da Pedagogia. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, Graduação em Pedagogia. Publicação contínua. ISSN: 1982-4440.